Review Les Revenants 1x01-1x08: Camille- La Horde


Instigante. Les revenants é um seriado francês do canal plus que foi ao ar no final do ano passado, e devido seu grande sucesso na mídia e crítica foi levado para outros países da Europa. Na Inglaterra, por exemplo, a produção passou a ser exibida em seu idioma original, mas com legendas. Inclusive na busca, é possível encontrar a série com essa opção, sob o título The Returned. 

                          

O arco principal do show se baseia no retorno de pessoas mortas à sociedade, depois de anos ou décadas do acontecimento, porém estas não possuem lembranças sobre o fato ou se quer sabem que haviam morrido. Em um mundo diferente do que eles deixaram no qual as pessoas seguiram suas vidas após o luto, eles tentam se encaixar e recuperar o que perderam, gerando conflitos emocionais e dúvidas sobre o futuro. Apesar da descrição, a série foge ao tom dramático que todo contexto incita e pode ser classificada como drama/suspende, trabalhando em uma fronteira tênue entre esses gêneros que a faz se distanciar dos exageros dessas categorias. Por ser uma produção francesa, os elementos que compõe o show divergem das características comerciais dos seriados americanos. Aqui se destaca uma fotografia escura com predominância de tons neutros ou contrates, e o uso de cenários reais. Já a forma de se relacionar é distante do padrão brasileiro, sendo  comum fumar a cada cena, bater a porta no rosto de alguém ou simplesmente dizer não de forma direta.

Em linhas gerais, as principais histórias giram em torno de Camille, Simon, Serge e Victor. A primeira morreu em um acidente de ônibus há quatro anos e ao retornar precisa encarar o desafio de se conectar de novo com sua irmã gêmea, já crescida. Simon faleceu no dia de seu casamento e oito anos mais tarde, descobre que sua noiva construíra outra família. Victor, um garoto de oito anos, é um dos personagens mais interessantes da trama. Sua parceria com Julie, uma enfermeira que o encontra sozinho e decide cuidar dele, se revela delicada e cativante, ao mesmo tempo em que o passado do menino vai sendo desvendado. Já Serge é um serial killer assassinado sete anos atrás e que retorna para acertar as contas com seu passado.

O grande destaque do roteiro é desenvolver as relações entre todos os personagens de forma encaixada e sutil, pois toda a trama se desenvolve em uma cidade pequena. Ao mesmo tempo, o retorno dos mortos vai sendo explicado, mas não de forma direta como por um apocalipse zumbi ou o fim dos tempos. Ao passo que coisas estranhas vão acontecendo, o telespectador é levado a tirar suas próprias conclusões e entender o que está acontecendo, um recurso que o coloca dentro da narrativa, envolvendo-o.

Cada episódio é intitulado por um dos personagens, porém cada roteiro não necessariamente foca em um especifico, pois como as histórias se ligam, todos os arcos sofrem avanços significativos no decorrer de cada episódio. A série foi renovada e sua segunda temporada deve estrear no final deste ano. Abaixo da promo, é feita uma análise por personagem. Então a partir deste ponto, o texto contém spoilers. Mais informações podem ser encontradas no site da série ou na fan page. Todas as fotos ilustrativas foram retiradas dessas fontes.



Camille é uma garota de 15 anos, morta quando um ônibus que a levava para um passeio caiu de em um penhasco matando vários alunos. Quatro anos mais tarde, ao retornar ela precisa acertar sua relação com sua imã gêmea, já adulta. A escolha dela para abrir o show é perfeita, pois ao longo do piloto sua história se destaca, principalmente devido a possibilidade de que as irmãs tivessem trocado de lugar no dia do acidente, ou pela culpa gerada em Lena por ter ficado com a grande paixão de Camille. Porém, conforme a narrativa evolui, a garota se torna um pouco irritante por seu comportamento adolescente e revoltado. Apesar disso, ela possui um papel significativo por ser a única a retornar que se expõe a sociedade local, trazendo reações adversas e conflituosas. Além disso, sua volta consegue firmar as relações familiares destruídas depois de seu falecimento.

 De todos, Simon possui a história mais controversa, pois o enredo nos revela que ele cometera suicídio antes no dia de seu casamento, deixando Adèle grávida e devastada pela perda. De volta, ele tenta reencontrar sua esposa e filha e até consegue se acertar com elas por um momento. Porém, ele passa a ser perseguido pelo xerife local, morto mais uma vez até que finalmente aceita sua existência sem elas.

A história de Julie é uma das mais emocionantes. Salva da morte após ter sido esfaqueada por Serge, sete anos atrás, ela demonstra uma personalidade solitária e traumatizada. Sua relação com Victor, que ela adota como se fosse seu é cativante, pois representa o encontro de duas almas abandonadas. Inicialmente, eu considerei que este seria um aborto que ela tivera feito, principalmente ao visualizar as marcas em sua barriga. Porém a história de Victor se demostra maior do que isso, e Julie não o abandona em momento algum, permanecendo com ele até o final. Ela inclusive considera o fato de ser uma retornante, e mesmo assim não teme, enxergando nisso uma possibilidade de finalmente ter paz.


Victor foi morto 35 anos atrás em um assalto a sua residência. Desde o inicio, ele é misterioso e suspeito, principalmente devido às mortes ao seu redor. Aparentemente, ele consegue manipular as mentes das pessoas, forçando-as a se matar. Apesar disso, eu nunca considerei que ele fosse fazer algum mal a Julie, pois  ele a tinha como uma protetora. Seu personagem permeia várias narrativas, no presente e no passado, quando do rompimento da barragem. Ele inclusive tem a chance de se vingar daquele responsável por sua morte (uma grande reviravolta), mas decide não o fazer.

Serge é o serial killer que assassinava jovens locais para comer seus fígados. Morto pelo seu irmão, Toni, ele retorna e acaba voltando a praticar esse tipo de crime, porém ao longo do enredo o vemos vencer sua compulsão, de forma que quando da oportunidade de  fazer o mesmo com Lena, ele se controla e prefere ficar com ela.

Lucy possui pouco destaque, mas surge com um papel fundamental de médium ao guiar os retornantes ao seu destino. Ela é esfaqueada por Serge já no piloto, mas retorna na sequência final como mediadora entre os habitantes e os mortos.

 Adèle é uma mulher devastada pela morte de Simon e que tentara se matar após o acontecimento. Durante o desenrolar da trama, se supõe que alguém não saiba que está morto e ela é aposta certeira. Todo seu relacionamento com Simon passa por um arco de crescimento muito interessante de pesar, amor e medo. Algo distante do teor romântico que o retorno poderia induzir. Sua gravidez, certamente gera um gancho promissor para a segunda temporada (caso ela volte), por ser uma coisa inconcebível.

La Horde encerra a primeira temporada trazendo o levante dos mortos, porém sem o teor apolítico, fazendo isso de uma forma muito difusa, mas ao mesmo tempo envolvente por finalmente fechar vários arcos abertos de forma subversiva.