Review Once Upon a Time in Wonderland 1x03: Forget Me Not

“Quando rouba para você, a primeira coisa que perde é a você mesmo.”

                           


Pelo visto Once upon a time in Wonderland está mesmo fadada ao cancelamento, algo indicado pela significativa queda de audiência do show desde o piloto. Apesar disso, em Forget Me Not a série consegue, mesmo com algumas falhas de construção, trazer uma trama interessante ao destacar um de seus melhores personagens ao mesmo tempo em que revive uma das mais esquecíveis.

Sem saber quem conseguira a lâmpada de Cyrus, Alice vê como única opção o uso de uma corda mágica que quando enrolada revela o último momento vivido naquele espaço antes da chegada de quem possui a corda. O problema surge quando a localização do objeto força o Valete de Copas a encontrar os seus perseguidores, pois o rapaz é procurado em toda Wonderland por crimes praticados. Nisto mais uma vez, vemos uma deturpação dos personagens do conto, pois a Lagarta se distancia do sábio fumante que falava por charadas e é retratado aqui como uma espécie de gangster do submundo, um inseto cruel e impiedoso. Em um jogo de inteligência, o Valete negocia o pagamento de suas dívidas pela devolução do Nó, agora em poder do Grendel, um monstro habitante da floresta proibida.

O Grendel lembra e aparência o Frankenstein, porém sua história mostra que ele já fora humano, sendo transformado em mostro pela Rainha Vermelha após roubar o Nó com a intenção de rever sua esposa falecida.  Alice e o Valete acabam capturados pelo monstro, mas conseguem ganhar a sua confiança após salvá-lo do ataque do Bandersnath, enviado pela Rainha e Jafar na tentativa de que Alice realizasse seu primeiro desejo. Destaque para a besta que não constrangeu em aspectos técnicos, diferentemente da vergonhosa estrada de tijolos amarelos que deveria ser esquecida na história.

E aqui começam as falhas de construção citadas. Sabíamos que o Nó estava com a Lagarta, mas o Grendel afirma que o roubara da Rainha, então se sugere que o inseto repassara o objeto para ela, porém não dá para entender o porquê dela deixar-lo com o Grendel após o roubo, se o Nó era tão importante a ponto dela transformá-lo daquela maneira. Além disso, não havia sido indicado que a Rainha possuía poderes, e até o momento ela não usou mágica. Outra questão é a incoerência no fato do Grendel se tornar canibal depois de transformado, se ele foi humano a vida toda. Sem falar no fato de que Alice com seus aproximadamente 40 quilos conseguir levantar/segurar um animal de cerca de 2500 kg (peso médio de um hipopótamo).

                    

O grande destaque do episódio é sem dúvida o Valete de Copas, trabalhando sua perspectiva de ladrão e revelando seu grande amor. Neste contexto, envolver o grupo de Robin Hood, justificando os atos de roubo como forma de justiça se encaixou perfeitamente com a trama do Valete, tido como criminoso e dúbio. A referência a Malévola (bruxa da bela adormecida) também foi atraente, principalmente por revelar que a Anastácia, grande amor do Valete, é na verdade a Rainha Vermelha. Até aqui, nenhum dos dois possuía nomes e a reviravolta  nos faz questionar como ela alcançara o controle de wonderland, como se separaram e o porquê dela se ter se tornando ruim. O fato estava sutilmente encaixado nas reações deles ao longo do episódio, mas trazê-la dessa forma foi realmente inteligente, principalmente porque o nome sugeria uma princesa russa da Disney.


Alice finalmente descobre que o Coelho conspira contra ela e entregara a localização da lâmpada, de forma que sua promessa de encontrar a Rainha Vermelha traz um horizonte interessante para a série. Porém, o fato de o Valete ter queimado o Nó, ao invés de pagar sua dívida com a Lagarta, foi burrice.  No próximo episódio, a vida deste será posta em risco por conta de seus crimes, e talvez Alice use seu primeiro pedido para salvar o amigo.

Obs: Alice não precisa brandir sua espada de plástico a cada cena apenas para mostrar que é guerreira.



0 comentários:

Postar um comentário