Review The Originals 1x01: Always and Forever


"Família é poder, Nicklaus. Amor, lealdade, isso é poder."

A única justificativa para a exibição da estréia de The Originals na sequência de The Vampire Diaries, em dia e horário diferente do que a série se fixará, é o objetivo de agregar ao spin-off o público daquela que lhe dá origem. Apesar disso, esperava que as tramas se encaixassem, mas nem Rebekka que permeia os dois enredos teve  qualquer funcionalidade, simplesmente aparecendo para indicar que entrará na trama em algum momento.



Mesmo o episódio tendo sido bom, a trama falha em dois aspectos básicos: estrutura e ponto de partida. Assim que o spin-off foi anunciado, esperava que a proposta explorasse a trama dos vampiros originais com maior profundidade, mas a estrutura da série até agora é inconsistente com isso, e das relações familiares entre os vampiros originais, tivemos pouquíssima coisa. Acredito que o grande erro neste sentido foi ter eliminado grande parte dos personagens em TVD, afinal Kol, Finn e Mikael já não estão mais vivos. Em termos de ponto de partida, ambientar a trama em uma cidade dominada por vampiros, na qual os lobisomens foram expulsos e as bruxas são impedidas de realizem mágica é realmente uma excelente alternativa. Inconsistente é o fato de Klaus, querendo retomar o poder das mãos de Marcel, não fazer isso e se render a chantagens de um coven de bruxas. Essa atitude passiva destrói a construção do personagem, sempre anunciado como um vilão sanguinário. Além disso, o comportamento infantil do personagem, agindo como uma criança que tivera seu brinquedo tomado é deplorável. Mais incoerente ainda, é o fato do mesmo não se importar com o filho que Haley está esperando, justo ele que sempre tanto valorizou seus híbridos. Não considero o arco envolvendo a gravidez ruim, até porque extrapola os limites estabelecidos em TVD e se bem trabalhado pode render uma trama interessante.

O grande trunfo desse episódio é utilizar a perspectiva de Elijah, completando os acontecimentos apresentados no piloto, o episódio 4x20 de The Vampire Diaries. O caráter nobre e forte de Elijah poderiam faze-lo facilmente roubar o título de protagonista da série, isso se Klaus não tivesse a mania de empalar seus irmãos a cada  oportunidade.

Em geral, temos uma complementação do episódio piloto, mostrando que Marcel não libera o corpo da bruxa responsável por confirmar a gravidez de Haley e liga-la a bruxa Sophie. Inicialmente Klaus se recusa aceitar os fatos, mas é convencido pelo irmão a colaborar, fingindo apoiar Marcel enquanto tomam o controle de cidade. Apesar desse não ser o piloto, achei muito interessante os produtores fazerem questão de explicar a mitologia da família, para contextualizar telespectadores que não acompanham a série que a origina.

Os arcos abertos dizem respeito ao motivo pelo qual as bruxas não querem Marcel morto e o que este possui de tão poderoso a ponto de controla-las. Certamente, algo relacionado a jovem bruxa com quem ele dialoga no fim do episódio e que ele afirma ser tão poderosa a ponto de deter os originais.

                                  

Obs1: A interação de Haley e Elijah pode ser mais explorada. Os dois funcionam bem juntos.

Obs2: Mais uma vez, Camille apareceu apenas para mostrar que faz parte do elenco, não acrescentando nada ao enredo.

0 comentários:

Postar um comentário