Review The Vampire Diaries 5x01: I know what you did last summer


"Mas nesse verão, eu consumi uma imensa quantidade de sangue. E eu me senti ficando mais forte, e mais forte a cada dia. E eu comecei a me questionar quais os limites do meu poder. Quantas pessoas eu posso influenciar? Uma? Duas? Uma praça inteira?"

                            






Depois de uma quarta temporada muito questionada, The Vampire Diaries retorna trazendo algo que a série realmente precisava: renovação. É notável logo de início que a série trazia novos ares, com Elena abandonando sua atitude irritante e abraçando seu futuro como universitária, enquanto uma humana Katherine se via indefesa, e Matt sempre tido como o bom garoto, agora aproveita a vida em ménages vampirescos. Essas mudanças trazem uma ruptura com o anteriormente estabelecido,  dando-nos a percepção de avanço e evolução para os personagens. Só faltava mesmo alterar a fotografia escura da série, que esconde parte do rosto dos atores em certas cenas. Mas isso seria pedir demais. Outro ponto interessante sobre a temporada é o arco central, finalmente focado na mitologia por trás dos dopelgangers, pois até hoje não sabemos quem foi a Petrova original e sua história. Intrigante Silas afirmar que ele veio primeiro, pois não seriam os Originais os primeiros vampiros? Além disso, acho inconsistente a afirmação  de que os dopelgangers são uma tentativa da natureza de re-estabelecer o equilíbrio, criando uma cópia mortal de um ser imortal. Afinal, se isso for verdade, a família Original, também, deveria ter iguais semelhantes.

Muito aceitável a atitude e Elena e Caroline que mesmo sendo vampiras, resolveram ir para a universidade, em uma tentativa de continuar ligadas a suas humanidades e serem vampiras funcionais. Porém, Elena realmente achou que não seria arriscado dividir o quarto com uma humana que bebe água com verbena, enquanto ela e Caroline escondem bolsas de sangue roubadas no Hemocentro da cidade. Hemocentro aliás que não deve ter problemas por falta de doações e  consegue alimentar uma grande população vampiresca. Porém, a companheira de quarto é rapidamente limada da série, mas deixa um mistério em função de sua morte, pois apesar dela ter sido assassinada por um vampiro, a polícia afirma ter sido suicídio. Além disso, a garota ainda portava em seu celular uma foto com o pai de Elena. Apesar do avanço que a universidade representa citado no começo, não espero muito desse ambiente, pois em quatro anos de ensino médio toda a turma mal pisava na escola e não entendo como qualquer um deles conseguiu se graduar.
                                       

Mesmo os eventos no campus terem sido intrigantes, foi a trama de Mystic Falls que chamou mais atenção. E como Elena não estava lá para correr perigo e precisar ser salva, esse papel ficou a cargo de sua Dopelganger, porém diferentemente daquela, Katherine sabe se defender usando uma navalha contra Silas e em seguida joga o carro contra um poste, ao perceber que Jeremy e Damon a entregariam para o vilão. Por um minuto, acreditei que ela ajudaria Jeremy depois do acidente em uma espécie de desculpas por ter contribuído para a morte deste na temporada passada, mas ela é uma sobrevivente e foge logo em seguida. Muito desnecessário a cena com este ferido, afinal o garoto já morreu e voltou a vida tantas vezes, que nem se o matassem de uma vez por todas o recurso teria algum impacto. Também desnecessário é o fato de Bonnie fingir estar viva por meio de mensagens de texto e emails, enviados por Jeremy. Afinal, a não ser que ela tenha algum plano de voltar a vida, isso terá que ser revelado mais cedo ou mais tarde, pois ali já percebo que essa atitude apenas sustenta uma relacionamento que não tem como dar certo, pois impede Jeremy de seguir adiante. Outro ponto que me irritou nesse arco é o fato da bruxa percorrer a cidade toda, pois na minha opinião fantasmas deveriam estar ligados a algum lugar que represente um assunto inacabado, e não serem seres onipresentes.

A cena final, com Silas controlando as pessoas na praça e ordenando que eles procurem Katherine, após ter assassinado o pai de Bonnie serviu para afirmar o vilão, que até agora não tinha convencido. Paul Wesley está ótimo no papel, pois sua falta de inexpressividade combina com a atitude do personagem. 



Stefan, que já foi protagonista da série, passou o episódio em um ciclo de morte e despertar- uma espécie de inferno. Mesmo diante das alucinações o o sofrimento causado pelo ciclo de afogamentos, ele se recusa a desligar sua humanidade.  Tyler não apareceu, mas deixou Caroline aos prantos depois de avisa-la por mensagem de voz que sua alcateia precisa dele nesse momento. Já Matt, foi perseguido por Nadya até Mystic Falls, sendo enfeitiçado por uma espécie de bruxo, em um arco que deverá ser explorado nos próximos episódios. Só desconfio que com isso, a vida do bom garoto tenha seus dias contados na série, como aconteceu com Alaric.



                                      
No geral, o episódio representa um bom recomeço para a trama, deixando arcos interessantes para a temporada. A seguir a promo do próximo episódio  intitulado True Lies.












0 comentários:

Postar um comentário