Review Once upon a Time in Wonderland 1x04/1x05: The Serpent/Heart of Stone




Não são apenas os péssimos efeitos especiais que Once upon a Time in Wonderland  herdou de sua série mãe, mas também a característica do roteiro de focar em um personagem específico por episódio, sem deixar de dar à devida atenção as outras tramas. Esse recurso tem suas vantagens e desvantagens, pois assim como somos presenteados com o destaque para nossos personagens favoritos, também traz o desenvolvimento para outros não tão interessantes. Não é segredo que o núcleo antagonista da trama não agrada, e sendo esses dois episódios focados neles, dúvidas surgiram sobre o resultado. Porém, a trama apesar de não surpreender não se saiu mal, e trouxe alguns avanços significativos para a história de Alice.

Em The Serpent, a história de Jafar é apresentada. Filho bastardo do sultão de Agraba, o garoto encontra na feitiçaria uma forma de obter vingança por todas as injustiças sofridas. Porém conforme aprende as magias ocultas, esse sentimento se transforma em uma sede de poder insaciável. Tão insaciável que ele chega a aprisionar sua mentora e amante para não compartilhar o poder que está tão próximo de seu alcance. Seu passado poderia ser uma motivação para seu vilanismo, porém o roteiro não o suaviza neste aspecto. Sua ânsia por poder se alinha com a real história do personagem, aquele do conto do Aladim, que queria governar Agraba ao possuir a lâmpada do gênio. Porém aqui, esses objetos se apresentam como elementos essenciais na conjuração de um feitiço capaz de dar-lo um poder inimaginável. E os desejos de Alice lhe impedem de alcançar o controle de Cyrus para poder completar seu objetivo. Já está claro que a Rainha Vermelha não se equipara ao vilão em poder, e talvez a única que consiga pará-lo é Amara, presa no cajado em forma de serpente.


A história da Rainha Vermelha é apresentava, em Heart of Stone, como a típica narrativa da garota pobre que desejava riquezas. Um objetivo que para ser alcançado demandou o sacrifício de seu grande amor. O Valete de copas não era apenas um meio para que ela alcançasse Wonderland. Ela o amava e ainda o ama, tanto que o captura para protegê-lo de Jafar, e além de lhe dar-lhe a oportunidade de fuga também se arrisca em uma viagem apenas para libertá-lo do feitiço imposto. Assim como o vilão, sua sede de poder é superior a qualquer sentimento que ela possua. Seu coração não é de pedra, mas está revestido como se fosse.

Com o Valete de Copas capturado, Alice se vê obrigada a usar seu primeiro desejo para salvar a vida do companheiro. O fato de eles pularem de uma catapulta por cima dos muros e ainda assim não se machucarem é ilógico, mas a série já provou que em Wonderland as leis da física não significam nada. O importante é que Jafar encontra uma fraqueza na garota, algo tão forte quanto o amor dela por Cyrus e que a faz ligar sua vida a do amigo. Alice também prova ter um coração puro ao obviamente se recusar a matar a Rainha Vermelha quando teve a chance. Ela foi ingênua de trabalhar com esta para conseguir um pó mágico, porém essa era sua única chance de obter informações sobre seu amado. Medidas desesperadas. Apesar disso, Alice esqueceu de que a rainha detém a lâmpada do gênio. Destaque para a menina que interpreta a versão jovem da protagonista que estava no tom maligno adequado.

Já Cyrus consegue finalmente fugir da sua prisão, fazendo o caminho contrário ao de Alice que finalmente está próxima ao castelo de Jafar. Porém o que chama atenção é o mistério envolvendo o segundo prisioneiro, um personagem que estava alheio, mas obviamente possui um papel na trama, principalmente agora que ele revelou ter algo que o vilão deseja.

                               

No próximo episódio, a trama retorna a dar destaque a Alice, dessa vez diante das informações que Jafar obteve do Coelho Branco que, aliás, tem sido um péssimo amigo.



Um comentário: