[Review] Sleepy Hollow 2x03/04- Roots of All Evil/Go Where I send Thee


Algumas vezes, pessoas são pegas no caminho de uma tempestade e não há nada que elas possam fazer além de esperar."- MILLS, Abigail.
Todos nós guardamos muito mais do que mostramos ao mundo. E por mais que alguns sentimentos e situações fiquem no passado, algumas coisas são impossíveis de esquecer e permanecem adormecidas, aguardando o momento de sua ressurgência. Talvez não tenha sido essa a mensagem de Roots of All Evil, mas a questão é que o relacionamento das irmãs Abbie e Jenny está longe de ter sido resolvido. Por mais que ambas avancem na tentativa de se reconciliarem, as mágoas sempre estarão lá como cicatrizes nos lembrando do nosso passado.

A relação das personagens pode sim render bons arcos para a trama, se o enredo se motivasse a explorar novas combinações. Embora, Abbie e Ichabod sejam os protagonistas, seria interessante a abertura de espaço para outras dinâmicas, evitando que os episódios de Sleepy Hollow caíssem em um cotidiano banal formado pelo ciclo: caso da semana-referência as lembranças de Ichabod- tentativa de salvar alguém-dia salvo. Sim, a fórmula funciona, porém é bom não abusar.

Já havia mencionado o quanto a presença da xerife Reyes é relevante na trama. E agora sua história vai se aprofundando no enredo, remetendo ao mistério envolvendo a mãe de Abbie, que abandonara as filhas diante de sua loucura. Embora Jenny achasse ter os motivos certos para perseguir a mulher que condenara sua mãe, a questão é que até onde sabemos, Reyes só estava fazendo o seu trabalho. Só é estranho que a xerife não tenha percebido a movimentação na floresta envolvendo Jenny, Abbie, Crane e Nick Hawley.

Sim, Nick Hawley. A chegada do personagem ficou clara como uma participação recorrente. Diante do cenário apocalíptico, é interessante a presença de com caçador de relíquias/ladrão. De certa forma, ficou implícito um par romântico para Abbie, agora que o policial avulso (alguém lembra?) está escalado em outra série.

Go Where I send Thee foi aquele típico episódio filler com a finalidade de completar a cota de dezoito episódios da temporada, pois o máximo que há de se destacar do caso foi a péssima caracterização do tocador de flauta. Sim, os efeitos especiais de Sleepy Hollow já foram melhores. Sério, foi constrangedor.

Em meio a banalidade, o destaque foi o pacto de Frank com o Cavaleiro da Guerra. Podemos ver aquilo que deverá ser o cenário do fim da temporada. Crane reforçou que exércitos estão sendo organizados e a assinatura em sangue do ex policial pode força-lo a lutar ao lado de Moloch.

P.s: Crane dirigindo. Melhor sequência.

                                 
  

0 comentários:

Postar um comentário