[Review] Reign 2x09 - Acts of War



Acts of War é sem dúvida o episódio mais impactante de Reign. Não sei se é por que eu estava alheio aos acontecimentos prometidos de forma que o roteiro parecia mais um episódio mediano da série, porém fui nocauteado pelo que viria a seguir. De início, não acreditei no que estava acontecendo, me vi torcendo para que alguém salvasse Mary daquele destino, mas o salvamento não veio e me vi capturado pelo sofrimento da personagem.

Assistir Mary tão vulnerável é realmente um golpe duro para os fãs. Além de ela dividir com Catherine o título de personagens mais cativantes da produção, nos acostumamos a vê-la forte e poderosa e nos esquecemos de que ela é apenas uma adolescente. Curiosamente, é esse o aspecto da sua personalidade que tem sido mais destacado nesta temporada, a de uma mulher que perde o filho, a confiança no marido e no mundo. Adelaide Kane estava grandiosa neste episódio. A forma como ela conseguiu transmitir a mensagem, a fragilidade enquanto suas lágrimas caiam ao chão e qualquer presença parecia uma ameaça realçaram sua capacidade como atriz. Era nítido em sua voz o resguardo dos temores da personagem, enquanto ela mentia a seu reino que seus governantes estavam incólumes, e o seu diálogo com Catherine foi realmente uma das melhores cenas da série.

O fato é que levar sua protagonista a passar por uma experiência tão brutal foi uma atitude arriscada e controversa dos roteiristas. Em entrevista ao Entertaiment, os mesmos afirmaram que planejavam inserir o tema de estupro na série desde a temporada passada, pois os rumores do acontecimento são encontrados na história, assim como tantos outros. Eles ainda ressaltaram que o fato é um ponto de inflexão no enredo, e que moverá o ritmo do restante da temporada. Sem dúvida, Mary não será a mesma assim como nenhuma mulher que passa por uma experiência tão brutal. Para completar a mensagem, um vídeo da própria Adelaide fecha o episódio, alertando sobre casos de violência contra a mulher e indicando os meios de denunciar fatos semelhantes.

Parece que esse foi o preço que Francis teve a pagar para finalmente se ver livre das chantagens de lorde Narcisse. E aqui está outro ponto curioso sobre esse episódio: a acusação mentirosa e o assassinato de lorde Montgomery. Convenhamos, as atitudes de Francis em cumplicidade com o irmão Bash foram erradas, assim como a sua tentativa de incriminar lorde Narcisse por traição. O fato é que às vezes nos vemos tão envolvidos por nossos personagens que não percebemos o real significado de suas ações. Afinal, as atitudes do rei são uma tentativa de proteger sua família ou uma série de crimes? É interessante isso que os produtores tem feito, pois os atos de Francis contradizem com seu caráter nobre, e se desenhado de outra forma, ele poderia ser retratado como alguém que roubou o trono do pai, acusou injustamente alguém de seu assassinato e encobriu tudo com mais uma morte. Até que ponto ele está certo ou errado?

Paralelamente, Claude passou a agradar ao se posicionar como uma peça no jogo do reino. Suas interações com Louis e Narcisse foram ótimas e poderiam render boas histórias, se não fosse o fato de que o primeiro fugiu do noivado ao se perceber apaixonado por Mary (Ficou óbvio!) e o segundo é de Lola e ninguém tira. Acho que depois da declaração de amor do lorde, já está liberado torcer pelo casal.

Por fim, como lorde Castleroy financiou, mesmo em saber, o ataque ao castelo e a Mary, provavelmente ele e Greer se tornarão alvo da justiça do rei. Agora é esperar como essa guerra entre católicos e protestantes irá terminar. O próximo episódio será o último antes do terrível hiatus.





0 comentários:

Postar um comentário