[Top] As melhores produções nacionais de 2014




Fim de ano, e até parece que foi ontem que você pulava suas ondas, enquanto fazia promessas de ano novo que não iria cumprir. O fato é que 2014 está terminando, e tão tradicional quanto tentar escapar das perguntas de seus familiares quanto a sua vida amorosa, é a tendência da internet de agrupar em rankings tudo o que aconteceu no ano. Como já tivemos uma postagem com as melhores séries da temporada 2013/2014, resolvi fazer um novo compilado restrito ao presente ano, mas apenas com produções nacionais. E por produções, leia-se qualquer material envolvendo tv, cinema ou internet. 

Para classificação, não está sendo considerando o gosto discutível deste redator, mas sim alguns critérios técnicos: originalidade e consistência do roteiro, direção e edição, cenografia e caracterização, trilha sonora, atuações e o conjunto da obra como um todo. O resultado, você confere a seguir.


10.  CONSELHO TUTELAR 



Investindo em seu campo de minisséries, a Record resolveu retratar a situação dos curadores e dos menores sob os cuidados desses profissionais. Com uma consistência técnica e o apelo de uma situação real, a  produção se destaca no cenário nacional e deixa a  sensação de que merecia mais que cinco episódios.


9. A GRANDE FAMÍLIA



Fechando seu ciclo após cerca de dez anos em exibição e com um público fiel, A Grande Família conseguiu passar por aquele que é o  maior desafio das séries, prover um final adequado e saudosista. Para isso, não faltaram participações especiais e a lembrança de personagens e momentos marcantes do show, sem ao mesmo tempo eclipsar aquela família muito unida e também muito ouriçada. 

8. PLANO ALTO



Considerada a House of  Cards tupiniquim, Plano Alto se lançou com muita competência a retratar os bastidores da política brasileira, e ao mesmo tempo, tomando propriedade do que é vinculado no cenário nacional. Com isso são feitas referências as comissões de inquérito parlamentar, crises nos serviços públicos e inclusive as manifestações de maio de 2013. Driblando a clara limitação de orçamento imposta pela emissora, a produção se vale de um roteiro elaborado e verossímil. 

7. O REBU


Remake de uma minissérie homônima, O Rebu poderia ter despontado facilmente neste ranking se o diferencial da obra não tivesse se perdido, pois no roteiro original, tanto a identidade do assassino como a da vítima eram desconhecidos do público. Apesar disso, a produção se destaca pela sua estética refinada e cuidadosamente projetada, combinada com belíssimas atuações e uma direção ágil.

6. LILI, A EX


Partindo das tirinhas do cartunista Caco Galhardo, Lili, a ex é sem dúvida uma das melhores comédias do ano. A trama da mulher que se torna vizinha do ex e vira o olho mágico do apartamento deste para poder observa-lo é tão absurdamente bem executada que é impossível não se ver envolvido pela loucura das situações apresentadas. Maria Casadevall consegue assumir a obsessão de sua personagem e nos fazer amar Lili de uma forma única. Com uma dinâmica acelerada, texto ágil e inteligente e personagens cativantes, é uma série que merecia estar em um canal aberto.

5. HOJE EU QUERO VOLTAR SOZINHO



Baseado em um curta representado pelos mesmos atores do filme, Hoje eu quero voltar sozinho se destaca por conseguir tratar de assuntos como homossexualidade e deficiência visual de formas distantes dos habituais clichês. Poético, delicado e de uma maturidade invejável no cenário nacional, o filme representa  o Brasil  para o Oscar de 2015 na categoria filme estrangeiro. 


4. DUPLA IDENTIDADE



Corrigindo as falhas de suas séries policiais predecessoras (A teia, O Caçador), a Globo investiu forte na qualidade de imagem, direção e edição de sua nova série. Em Dupla Identidade, os detalhes foram minimamente pensados, desde a escalação de atores experientes e renomados, passando pela trilha sonora e o trabalho de caracterização dos crimes. Mesmo com audiência abaixo do esperado pela emissora, considera-se uma segunda temporada da série.

3. VIRAL



Produção do canal Porta dos Fundos, Viral retrata a jornada de um portador de HIV na tentativa de contactar suas ex-parceiras sexuais e descobrir quem lhe transmitiu o vírus. Por ser um roteiro original e ainda por cima sobre um assunto que poucos programas se propõe a debater, a web-série chega quase ao topo dessa classificação. 


2. AMORES ROUBADOS



Minissérie exibida no período de férias (geralmente de baixa audiência), Amores Roubados conseguiu índices comparáveis as novelas das sete, e envolveu pela sua qualidade técnica, fortes atuações e a ousadia de matar o protagonista antes mesmo da metade do número total de capítulos (desculpas pelo spoiler), e mesmo assim conseguir manter sua consistência. Com essas características, não é a toa que a produção retorna no próximo ano sob formato de telefilme para a comemoração de 50 anos da senhora Globo.

1. MEU PEDACINHO DO CHÃO


As razões para o topo mais alto do ranking estão na postagem sobre os cinco motivos pelos quais a novela deveria ser assistida. Valendo-se de precedentes remotos apenas encontrados em minisséries como Hoje é dia de Maria e Capitu, mesmo não possuindo uma trama original, Meu Pedacinho do Chão era executada de forma elaboradamente teatral. E a exemplo do Castelo Rá-tim-bum, a produção chegou a ganhar exibição em uma mostra em São Paulo.  Uma novela diferenciada pela sua qualidade artística e técnica.


0 comentários:

Postar um comentário