[Top] As melhores novelas de 2015


Ano passado, publiquei uma postagem com as melhores produções nacionais, considerando filmes, novelas e seriados. Tendo em vista que não é justo comparar formatos tão distintos, este ano as coisas serão diferentes. Já apareceu aqui um post com os filmes brasileiros de maior destaque, neste período. Agora, é a vez de falar dos folhetins. 


3. ALÉM DO TEMPO


Novela espírita sobre um amor capaz de sobreviver aos séculos, Além do Tempo demorou até cair nas graças do povo. A cenografia de época, a noviça apaixonada pelo herdeiro de uma fortuna e uma vilã capaz de tudo para se casar, pareciam ideias comuns de tantas histórias que já cansamos de ver, porém foi exatamente essa simplicidade que fez o público se apaixonar e torcer pelo romance de Lívia e Felipe. Em tempos em que a maldade é super valorizada, a produção soube envolver o telespectador com personagens cativantes e empáticos, uma direção de arte delicada e imersiva, reforçada por excelentes atuações. Embora sua mudança de fase, avançando-se 150 anos no tempo e mudando totalmente o enredo, tenha gerado descontentamento, a novela ainda assim se destaca pela sua poesia leve. 


2. VERDADES SECRETAS


Ousada e petulante, Verdades Secretas deixou claro que não vinha para satisfazer as exigências de um público conservador e puritano. Prostituição, nudez e polêmicas foram suas características do início ao fim, provando que é possível fazer novelas excelentes se distanciando do formato tradicional de folhetim. Personagens esféricos e ambiciosos atraíram o público, fazendo-o vibrar todas as noites nas redes sociais  a cada cena. Verdades Secretas se tornou um jantar de luxúria, ambição e subversão de valores. Super merecia uma segunda temporada. 

1. SETE VIDAS


A trama de principal de Sete Vidas é digna de uma série dramática da ABC. Jovens gerados por inseminação artificial que tentam encontrar sua identidade biológica, buscando irmãos gerados pelo mesmo doador de esperma e que acabam tendo que lidar com suas diferentes realidades e divergência de opiniões. Sem vilões maquiavélicos ou mocinhos ingênuos, o texto de Lícia Manzo é fluído e vívido com uma suavidade que lembra Manoel Carlos. Ao tratar dramas pessoais e familiares e explorar os laços invisíveis que moldam nossa forma de se relacionar, Sete Vidas consegue comover e emocionar de uma forma única. 


MENÇÃO HONROSA

OS DEZ MANDAMENTOS


Sem dúvida, Os Dez Mandamentos é um marco dramaturgo deste ano. A produção conseguiu não apenas levantar a audiência da Record, como também bater de frente com as novelas da Globo e assustar o gigante televisivo. Baseado em uma trama que já está toda spoilada na bíblia, a novela se destaca por sua alto grau de investimento e por ser uma trama extremamente distante do que estamos acostumados, afinal a produção que mais se aproxima é a injustiçada A Padroeira (2001). E foi justamente seu sucesso que comprometeu a qualidade do enredo. Ao subir na audiência, a Record esticou sua duração até onde pode  e como se não bastasse, ainda decidiu fazer uma parte dois que estreará no próximo ano. Quase tiveram que inventar pragas e mais mandamentos para produzir mais capítulos. 

5 comentários:

  1. Juridicamente, o maior erro foi a morte do Alex, assassinado pela Angel. Ela o matou, jogou seu corpo no mar, limpou tudo e ficou por isso mesmo. Pergunta: o corpo dele nunca mais apareceu? E se apareceu, como explicaram as marcas dos tiros que ele levou? A não ser que ele tenha sido inteiramente devorado pelos predadores do mar, caso contrário, ele apareceria boiando em alguma praia. A polícia nunca desconfiou dela, já que estavam sozinhos os dois? Muitas coisas ficaram pendentes, mas esse furo em relação à morte do Alex foi demais

    * Por Sempre Acho um Porém da Silva
    Por Mala de Plantão
    Guilherme com cara de planta no casamento foi de morte. Quem, em sã consciência, casaria feliz com uma assassina? Sim, porque se existe uma pessoa além da Fanny, Giovanna e Anthony em Verdades Secretas que sabe que Angel fez o serviço sujo, esse alguém era o agroboy. Sabia do caso da namorada, foi para ele que ela disse que ainda tinha algo mal resolvido para por fim e, claro, era para ele que ela teria que se explicar sobre o passeio em alto mar com o padrasto morto. Não colou. Nota: casou e é bem capaz de levar uma rasteira da “psicopata” logo ali na esquina. A cara dela dentro do helicóptero foi triste. Mas, sim, uso um ditado como defesa para o desfecho: o amor, assim como a Justiça, é cego, lembram?

    sangue

    É força de sangue, como diriam na minha terra
    Pensem na morte de um grande empresário. Rico, conhecido, badalado… Respondam vocês, meninas, que trabalham em um meio de comunicação: passaria desapercebido? Sem investigação, como se fosse a coisa mais simples do mundo cair no mar depois de bater a cabeça? Não, né? Bastariam algumas gotas de luminol para a polícia descobrir que ele no mínimo teria que ter sido degolado para deixar tanto sangue espalhado no iate. Ninguém desconfiou. Os filhos não se manifestaram. Assim, nem na ficção.
    Nota: daí eu pergunto, senhor Silva, um homem daqueles existe aqui fora onde a gente nasce, cresce, se reproduz e morre? Não, aquele homem era todo “fricção”. Que descanse em paz.

    Fanny: Serve?

    * Por Pé no Saco
    E a Lyris morreu para quê, se não foi para que Fanny fosse denunciada pelo book rosa? Que o tal Edgar era um zero à esquerda do logo da novela, certo. Agora, foi lá, tentou acertar Alex, quase matou um homem, foi preso e saiu a passear, esquecido no mapa. Depois, para não desperdiçarem o cachê do moço, eis que com uma facada mata a modelinho mais fraquinha da trama, ele assina atestado de louco e Fanny segue feliz da vida, escrevendo mais uma página em seu book azul. Pastelão.
    Nota: sim, concordo! Um belo pastel de carne – de gato, no caso – que sobrou para a Fanny, não? Mas com essa versão eu tenho que concordar. Seria muito mais coerente darem sentido para o assassinato, né? Muito sangue para pouca história.

    ResponderExcluir
  2. Hilda: Vai ver até é outra arma…

    * Por Mala sem Alça
    Para não falarem que eu me arrasto por ai, fui atrás de um especialista policial em coberturas de mortes e assassinatos e a resposta foi curta e grossa: não, não existe a possibilidade de a arma com a qual Carolina se suicidou estar nas mãos da Hilda dias depois do acontecido. Furo (de bala) na história.
    Nota: olha, não gosto de falar de quem já morreu. Dona Hilda, nessa altura do campeonato, deve estar lá no céu acompanhando a repercussão do caso e puta da cara, já que pediu para a Letinha “colocar a arma dentro do caixão” quando a vó morresse e a neta entendeu “colocar uma bala dentro do bonitão” (sim, maldito corretor que anda instalado dentro do cérebro desta juventude computadorizada!).

    Hilda ficou com a arma por motivos de ter se provado suicídio. A mesma arma do crime da mãe que não foi apreendida pela polícia. Só em novela mesmo.

    Lancha de Alex
    A lancha onde ocorreu o assassinato de Alex levava o nome de Gênesis, primeiro livro da bíblia e que em grego significa "nascimento". Pode ser apenas coincidência, mas o nome pode ter sido escolhido propositalmente por Walcyr Carrasco para deixar a entender que Angel teria uma 'vida nova' após a morte do amante... A Letinha renasceu para uma vida tão fria e cínica quanto a expressão dela no casamento... porém Angel colocar, em seu discurso, toda culpa em Alex, achei incoerente, afinal ninguém fez nada sozinho, sem falar que ela traiu a própria mãe. Ela estava transferindo a culpa e a raiva que sentia de si mesma para ele. A fala dela não reflete a situação, mas a maneira como ela quer ver a situação.
    Mais um furo. A canga que a Angel seguro, solta aos ventos, fazendo charme pro RajGrey, quando muda a cena, ela senta na lancha e cadê a canga??? E o vento levou??…. heheh
    Outro… Ela secou o deck do barco com um pano e em seguida colocou fogo no pano molhado… Pode isso produção?! kkkkkkkkkkkkkk panos encharcados pegam fogo?

    Walcyr Carrasco tem taras por mortes. Muita gente vai dizer que teve novela com muito mais mortes, a diferença é que todas as mortes tiveram uma razão de existir, para além de um: “vou fazer algo chocante para ser elogiado''

    Verdades secretas: Um monte de incoerências, segundo site UOL
    1- Cadê as reações de Pia e principalmente de Giovanna, a responsável por ter criado a situação, em relação ao suicídio de Carolina? Poderia também ter tido a reação das duas sobre a morte de Alex, embora nesse caso fosse menos necessário.
    2- Quais as reações de Bruno, Pia e Alex sobre a viagem de Giovanna?
    3- Larissa reencontrou a mãe?
    4- Fanny sequer foi presa? Continua o book rosa? Isso de ela ficar com o Léo foi estranhíssimo. A relação de Lurdeca e Visky continua se limitando a álcool e em segredo? O que mudou?

    ResponderExcluir
  3. Aos admiradores de obra e observadores... ela saiu em puni diante da sociedade, porem ao ver o semblante final dela no helicóptero se percebe que ela não estava feliz, ou seja, que ia carregar uma infelicidade por toda a vida. O último semblante dela mostrou isso. Ela se casou e tudo, mas final feliz ela não teve, pois, a expressão de felicidade dela era somente enquanto estava na frente dos outros no casamento. No helicóptero ela não estava feliz. Ela foi a maior culpada pelo suicídio da mãe, e jogou a culpa em Alex, o matando para limpar a própria consciência......De anjo essa Angel só tinha a beleza e o jeitinho doce... Não acho que a Angel teve um final, Angel de fato não merecia o final ''Feliz'' que todos falam que teve…afinal ela vai ter carregar a culpa pelo suicídio da mãe pelo resto da vida, e sem falar no amor que ela sentia de verdade pelo Alex... Casou com Gui, que ela não amava de verdade e que nunca vai ser feliz de verdade!!! Viver com quem a gente não ama de verdade, com certeza é um ótimo castigo...

    ResponderExcluir
  4. A maioria não entendeu o fim da novela, porque o público, de modo geral, tem pouco ou nenhum conhecimento sobre ciência. Pesquisas já comprovaram que o ser humano, submetido a níveis elevados de violência, pode perder a capacidade de amar, de ter empatia, podendo até mesmo desenvolver algum nível de psicopatia. Foi o que ocorreu com a Angel. Ela se colocou na frente do Alex porque o amava, mas ao se deparar com a morte da mãe, nutrida por um sentimento de raiva e vingança, jogou tudo para o alto e vingou a mãe matando o amante. Não tem nada de surreal nessa cena. A psicopatia tem várias formas de se desenvolver, seja por fatores genéticos ou por grande exposição à violência. O Brasil por exemplo, tem pelo menos 3% de sua população composta de psicopatas, e uma das causas é justamente a cultura da violência que acomete o país. O círculo da violência gera mais violência, e o sujeito exposto a ela, pode sim desenvolver psicopatia Arlete virou sociopata e se sabe bem por que, foi responsável pelo suicídio da mãe.

    ResponderExcluir
  5. A novela já está deixando saudades!! Nessa novela, não existiu vítimas, muito menos a Angel.... A vida não foi fácil para ela, assim como não é fácil para milhões de pessoas, pena que diante disso ela foi se afundando em escolhas erradas e em mentiras cada vez mais sérias. Mesmo antes do Alex se envolver com Carolina, ela já não era a Angel do primeiro capítulo, não era a Letinha que muitos achavam que era, inclusive sua mãe. Para mim, a Angel nunca assumia de frente a consequência de suas ações, sempre tentava culpar alguém ou forças externas pelos seus erros. E ao Alex se envolver com a Carolina, as coisas ficaram piores, pois justificava toda a traição a sua mãe, ao amor que dizia sentir por ela (mais uma vez tentando justificar suas más atitudes). A frase de Alex (Não se iluda, tudo tem seu preço) demonstrou o preço de suas próprias ações e do dark side que ele mesmo ''despertou'', nem diante da Angel armada, ele acreditava que ela fosse atirar, afinal ela não seria capaz de matar o homem que a amava e que ela amava também, só que diante da dor e da culpa que ela sentiu pela morte da mãe, ela simplesmente tornou-se uma pessoa, fria , calculista, vazia, a ponto matá-lo friamente, como se afundando ele no mar e limpando todo o sangue do barco, ela estivesse limpando o sangue da mãe. Acontece que ao julgar o Alex como culpado e o matando para vingar a morte de Carolina, ela acredita que assim, a culpa que cabe a ela, vá acabar, e ela poderá seguir com a vida. Pena que mesmo se ela limpasse um Titanic de sangue, ela jamais se livrará da culpa que lhe cabe. Acho que no fim, ela adquiriu algum traço de psicopatia, sim, afinal, quem em condições psicológicas normais, mataria com toda aquela frieza, faria toda aquela encenação para polícia, conseguiria viver com o peso de duas mortes nas costas, sem contar na cara macabra dela ao sair da igreja, demonstrando nenhum remorso, nenhuma culpa. O mais coerente é que com esse peso na consciência, ela se matasse também, mas não, continuou a viver como se nada tivesse acontecido, vendendo a imagem da menina pura, feliz, um verdadeiro anjo, mas que por trás disso tudo, existe totalmente o oposto, ''lobo em pele de cordeiro''. Mesmo que ela tente, nunca será feliz, uma hora a vida cobrará seu preço, e por fim, na última cena, no helicóptero, ela diz ao Gui que está feliz, mas ao virar o rosto, sua expressão é totalmente sombria, sem nenhum traço da verdadeira felicidade!! A novela terminou com muitas verdades continuando bem secretas!

    ResponderExcluir